Meus 5 livros de moda favoritos

Meus 5 livros de moda favoritos

Cultura ler o post completo
5 aplicativos essenciais para viajantes

5 aplicativos essenciais para viajantes

Viagem ler o post completo
Netflix: usando mais e melhor

Netflix: usando mais e melhor

Cultura ler o post completo

Viagem

Moda & Beleza

Carreira & Finanças

I ? NY

01 de dezembro de 2009

Finalmente um post completinho sobre minha viagem para NY! E para começar, nada melhor do que um texto que resume muito esse tipo de experiência!

“MORAR FORA não é apenas aprender uma nova lingua.
Não é apenas caminhar por ruas diferentes ou conhecer pessoas e culturas diversificadas.
Não é apenas o valor do dinheiro que muda.
Não é apenas trabalhar em algo que você nunca faria no seu pais.
Não é apenas ter a possibilidade de ganhar muito mais dinheiro do que se ganhava.
Não é apenas conquistar um diploma ou fazer um curso diferente.
Morar fora não é só fazer amigos novos e colecionar fotos diferentes.
Não é apenas ter horarios malucos e ver sua rotina se transformar diariamente.
Não é apenas aprender a se virar, lavar, passar, cozinhar.
Não é apenas comer comidas diferentes, pagar suas contas no vencimento, se matar para pagar o aluguel.
Não é apenas não ter que dar satisfações e ser dono do seu nariz.
Não é apenas amar o novo, as mudanças e tambem sentir saudades de pessoas queridas e algumas coisas do seu pais.
Não é apenas levantar da cama em um segundo quando chega encomenda do BraZil.
Não é apenas já saber que é alguém do Brasil ligando quando toca seu celular sempre no mesmo horário.
Não é apenas a distância.
Não são apenas as novidades.
Não é apenas uma nova vista ao abrir a janela.
Morar fora é se conhecer muito mais.
É amadurecer e ver um mundo de possibilidades a sua frente.
É ver que é possivel sim, fazer tudo aquilo que você sempre sonhou e que parecia tão surreal.
É perceber que o mundo está na sua cara e você pode sim, conhece-lo inteiro.
É ver seus objetivos mudarem.
É mudar de ideia.
É colocar em prática.
É ter que mudar sua cabeça todos os dias.
É deixar de lado as coisas pequenas.
É saber tampar o seu ouvido.
É se valorizar.
É ver sua mente se abrir muito mais, em todos os momentos.
É se ver aberto para a vida.
É não ter medo de arriscar.
É colocar toda a sua fé em prática.
É ter fé.
É aceitar desafios constantes.
É se sentir na Terra do Nunca e não querer voltar.
É querer voltar e não conseguir se imaginar no mesmo lugar.
Morar em outros paises é se surpreender com você mesmo.
É se descobrir e notar que na verdade, você não conhecia a fundo algo que sempre achou que conhecia muito bem: VOCÊ MESMO!!!!”

Adoro esse texto, não sei quem escreveu, mas fala super bem da experiência de morar em outro país, independente do tempo, do local, de qualquer coisa.

Post longo, então pra ler é só clicar!

 

Mas agora vamos a parte que mais interessa! Um dos meus grandes sonhos sempre foi o de morar em NY, numa apê bem no estilo da Carrie. Claro que não foi exatamente assim meus 32 dias em NY, mas foi muito perto disso. Pra morar pra valer, só com emprego e mais $$$. E pra mim esse ainda não era o momento. Então resolvi pegar o $$ que eu tinha juntado e ir estudar e passear, e com certeza foi a decisão mais incrível que já tomei!

Fiz tudo pela CI, com isso não tive que ficar indo atrás de escola, casa, etc. Eles foram resolvendo, me mandando e-mail, e eu tomava a decisão final. Super recomendo!

Planejando a viagem.

Tudo confirmado, é a hora dos preparativos. Acho que fiz umas 10 listas do que levar! Muita empolgação. Pesquisei muita coisa na internet, comprei um guia – que salvou minha vida – mapa, melhores lugares pra ir!

Eu fechei a viagem uns 5 meses antes, então deu pra pesquisar bem, ver onde eu queria ir, mesmo assim, acabei não indo em alguns lugares. Mas não me arrependo. Eu voltarei à NY!

Aí vem a burocracia, tirar o visto americano, agendei pela internet e fui bem mais cedo, chegamos e já entramos, eu e meu irmão fizemos a entrevista juntos. Estava MUITO cheio! Como o povo viaja! Mandaram a gente levar milhares de documentos, no fim, não pediram nada 😀 E deu tudo certo. Visto nas mãos!

Agora era só esperar o grande dia.

Indo para NY.

Eu parei de freelar na agência que eu estava uma semana antes da viagem. A gente acha que não, mas rola uma correria, sem falar na ansiedade! Pensava se estava tudo certo, se não estava esquecendo nada! Afinal, pra mim, não era simplesmente uma viagem para NY, era uma viagem que eu sonhava há anos, que guardei dinheiro, planejei e nunca conseguia fazê-la acontecer, então teve um sabor diferente!

A coisa mais incrível do mundo todo foi a Mica e o Almir terem ido no aeroporto me desejar boa viagem, e a Mica garantir que eu ia voltar de lá! rs. Check-in feito, malas despachadas. Ainda tinha que ir na Polícia Federal declarar o notebook e a camera! Sem contar que ainda faltavam umas 2h pro voo e  o embarque era imediato!

Feito toda a burocracia, me despedi de todo mundo, garanti que iria voltar rs, e fui pra sala de espera. Descobri o motivo do embarque urgente: mega fila pra passar no raio-x. Fiquei uns 40min lá na fila, mas tudo ok.

Embarquei. Puta avião apertado! Pelo menos tinha TV individual, mas logo vi que não ia conseguir dormir. Mas como sou uma mulher de sorte, a moça que estava do meu lado quis trocar de lugar e fiquei com os dois assentos só pra mim! Sem contar que fiquei com dois travesseirinhos, duas cobertinhas e fones! Só não achei meu tapa-olho, e acabei nem pedindo outro pras Comissárias de Bordo.

Dormir, a gente nunca dorme, mas deu pra dar umas cochiladas, a sorte de ter os 2 bancos livres pra mim foi ótimo, pude esticar as pernas, ficar bemmm mais confortável. Dica: vá de roupa confortável, no meu caso fui de jeans, Melissa, suéter e uma jaquetinha.

Infelizmente meu voo não foi direto para NY, fiz uma escala em Atlanta, o bom disso é que toda a imigração é feita já em Atlanta, e foi super rápido, pois praticamente não tinha fila, sem contar que foi meu primeiro “teste” de inglês! Nem acreditei que eu ainda sabia falar, o policial que me atendeu até disso que não entendia o porque de eu fazer curso se eu falava bem, mas mesmo assim eu disse que queria melhorar a pronúncia! Depois disso, despachei as malas de novo, e fui pra sala de espera. O aeroporto de Atlanta é super organizado, tem wi-fi, lojas e tudo o que precisar, de lá já liguei pro Brasil, e descobri que meu irmão estava perdido no aeroporto de NY no JFK! É, fomos em voos diferentes!

De Atlanta até NY são quase 3h de voo, e por ser voo doméstico, pra comer e beber tinha que pagar, só sei que quando o avião decolou eu estava cochilando! Pelo menos consegui dormir nesse voo! Chegando em NY não precisei pegar a fila da imigração, fui direto buscar as malas! Não sei como, mas meu irmão chegou logo depois de mim, e ficou aliviado por ter me achado! O celular dele não funcionou em NY, só o meu. Fica a dica, faça um pacote de ligações internacional, fiquei um mês fora, liguei várias vezes para o Brasil é só veio R$130,00 a mais na minha conta! Se você tiver notebook, Ipod, leve, tem wi-fi em todo lado!

Cheguei na hora do almoço e meu irmão já tinha chego há umas 4h, então estávamos os dois morrendo de fome, resultado: McDonald´s, no aeroporto mesmo, não gostei, o daqui é melhor e o aeroporto JFK é péssimo – bagunçado, sem ninguém pra te informar nada!

Aí, hora de ir para a Manhattan School of Music, república onde ficamos hospedados! Meu irmão ia ficar em outro lugar, mas cancelaram e no fim acabamos ficando junto e no mesmo quarto. Pegamos ao invés do táxi amarelo lindo, um motorista. Eu fiquei morrendo de medo! Mas deu tudo certo! A residência fica em Morningside Heights, e uma rua para baixo já é o Harlem.

Eu no avião, chegando em NY!

A República

É enorme! A gente ficou no 16º andar, em um quarto duplo com vista para a Ponte do Brooklyn. Com acesso a internet (cabo), armário, cama, escrivaninha e roupa de cama. O banheiro é coletivo, claro que não era mega limpo, tem mulher nojenta em todo lugar né? No hall da residência tem internet wi-fi.

Um dos lemas era: nunca desça só suba! Descendo você começava a entrar no Harlem, não que seja um bairro perigoso, mas não é um dos melhores de lá, ainda mais a noite. O metrô mais próximo é o 125 Station, a gente pegava lá pra ir pra escola de manhã, mas na volta, a gente descia na 116 Station – Columbia University, muito mais movimentado.

Apesar de tudo a localização é ótima, do lado da estação tem uma Duane Reade farmácia incrível com tudo o que você possa imaginar! Na outra esquina McDonalds! Além de tudo, tem mercados ótimos, mas é bom ir cedo, porque tá bem mais movimentado e tem pão fresco – leia-se pão francês, que lá se chama portuguease bread!

Minha cama, é um shared room, dividi com meu irmão.

A escola

A gente optou por fazer curso de inglês, no primeiro dia a gente faz teste escrito, de leitura e também conversamos com os professores. Tanto eu quanto meu irmão ficamos no nível 5 (são 8). Super me surpreendi, achei que eu estava bem mais enferrujada. O bom, é que a partir do nível 5 não tem toda aquela gramática pesada!

Nosso professor foi o Chris D. o mais disputado da escola, até lista de espera pela aula dele tem. Foram as melhores aulas da minha vida! Conheci gente do mundo todo – Itália, França, Japão, Coréia, China, Indonésia, Holanda –  o inglês melhorou muitoooo, dei muita risada, curti demais! Teve aula no Museu de História Natural, vários joguinhos pra gente aumentar o vocabulário e muito mais!

A aula era de segunda a sexta, das 9h ao 12h40h, e claro, antes da aula, tinha Starbucks ou Guys & Gallard, mas minha paixão sempre será Starbucks.

A Embassy fica na 7 Avenue também conhecida como Fashion Avenue, eu estava louca pra pegar um guia, mas nunca vi aquele quiosque de informações aberto! Enfim, fica do lado do Fashion Institute, da Penn Station, Madison Square Garden e Times Square.

Nunca imaginei, mas quando vim embora, uma das coisas que mais me deixava triste era não ter mais as aulas de manhã, com gente nova toda semana, era algo que eu nunca vou conseguir explicar! Amigos, o professor, tudo, mais perfeito, impossível!

Amigos do mundo todo e o teacher!

New York

Saia da aula quase as 13h e o destino era conhecer mais um pouco de NY a cada dia. Foram museus, bairros, restaurantes, andei de ponta a ponta de Manhattan, me sentindo cada dia uma como uma verdadeira New Yorker.

Logo no dia que cheguei, apesar do sono e cansaço, fomos conhecer o bairro, e de noite, claro, Times Square. Nessa hora você realmente se dá conta de que tá em NY, é lindo demais! Na volta, a gente se perdeu no Harlem, à noite. num bairro não tão amigável, parecia cena de filme, com gente jogando basquete e te olhando meio torto. MEDO. Mas tudo deu certo, botamos nosso inglês pra funcionar, pedimos informação e chegamos sãos e salvos!

Times Square a noite

Como cheguei num sábado, o negócio nesse primeiro findi era reconhecer o “terreno”, passear pela Times, entrar nas muitas lojas de lá, ir ao mercado, comprar o MetroCard, analisar bem o mapa do metro e das ruas,  e planejar muito! Fui munida de um super guia que me salvou diversas vezes, me levou pra um restaurante incrível de fish&chips (tipicamente inglês) e me ajudou a planejar onde eu ia e não ia. Comprei um dia antes de ir, e me arrependi, deveria ter comprado bem antes e planejado com antecedência! Um mês passa voando!

Apesar de não ter visto tudo, pois acreditem, é muita coisa, fiz mais do que uma simples turista faz, e visitei lugares incrivéis. Fui no estádio dos Yankees e assisti uma partida de beisebol com direto a comer cachorro quente americano e um Steak sandwich, fui no Museu de História Natural, no Metropolitan Museum of Art, MoMA, conheci a Public Library, subi no Empire State, fui até a Statue of Liberty, passei um dia toda pelo Central Park, andei pelo Soho, Greenwich Village, Chinatown, Little Italy, passei pela casa da Carrie, fui conhecer algumas celebridades no Madame Tussauds, ainda consegui dar um pulo em Coney Island e visitar o NY Aquarium, e só pra melhorar fui até Washigton e Philadelphia só pra passar o dia, foram dois sábado incríveis, e que merecem post separado né?

Meu irmão e eu na Statue of Liberty

Coney Island

Eu e os Aliens Stingers no NY Aquarium

Além de tudo passei o Independecy Day lá, que é feriado + liquidação, pra tudo tem desconto extra, e aproveitei e bem no dia 3 (apesar de ser dia 4, dia 3 é preparativo e num tem aula, ninguém trabalha) fui pro Woodbury. Me ACABEI, comprei MUITA coisa!

As compras? Ah, essas foram todos os dias, fui na Woodbury (outlet incrível), na H&M, Century 21, Forever 21, TopShop, Macy´s, Bloomingdales e tantos outros lugares que merecem um post no Guia de Compras.

Toys ‘R’ us – roda gigante no meio da loja – e tem muito mais lá!!!

Andei muito, comi pizza e hot-dog, fiz mercado, peguei táxi, assisti um show na Broadway, um jogo de basquete no Madison Square Garden e um jogo de baseball dos Yankees, andei de ponta a ponta de NY, tirei mais de mil fotos, conheci gente do mundo todo, vivi um mês que as vezes pareciam anos e as vezes dias, em nenhum momento quis voltar, mas em todos queria continuar por lá. Eu combino com NY e vice versa, nos completamos, assim, fácil, fácil. Lá me sinto em casa, eu mesma, feliz, leve, livre…. rs

No Madison Square Garden

Central Park

É enorme e fica bem no meio de Manhattan, então onde quer q vc esteja, você acaba chegando nele. Tem MUITA coisa pra ver lá, muitas estátuas, museu, e claro, ficar sentado na grama conversando ou passear de barco – coisa que eu fiz! A gente reservou um dia todo pra ficar lá, e mesmo assim faltou coisa pra ver, é fácil se perder lá dentro! Como era verão, as pessoas ficavam lá estiradonas no sol! Eu achei hilário! Muita mulher de biquini na grama,  coisa de cinema, mas é estranho, a gente chega a achar tosco. hauhauah

A gente viu a estátua da Alice no País das Maravilhas a do Hans Christian Andersen (autor de O Patinho Feio), essas duas ficam perto uma da outra e no lago onde tem os barquinhos de controle remoto, e no verão, tem contadores de histórias, eles ficam um em cada estátua e fica cheio de crianças e adultos ouvindo. Fofo né?

Esquilo – lá tem MUITOS

Alice in the Wonderland

Também vimos a Bathisda Fountain (ñ lembro se é assim que escreve), o Strawberry Fields, que é em homenagem ao John Lennon e muitooo verde. E podia tá o maior calor que lá no parque era fresquinho! Também vimos o Zoo, mas não entramos, e vi milhares de lugares que eu só via nos seriados!

Strawberry Fields

Eu no barco, no nosso passeio pelo lago

Empire State Building

É obrigatório ir. Eu amei. A vista é linda, e NY é única do alto à noite. O melhor é que fica aberto até umas 2h da manhã, então a gente foi já eram umas 22h, assim você aproveita o dia todo, toma um banho, se arruma e vai jantar e depois vai passear no Empire! Eu fui até o deck, você pode subir mais, mas todo mundo que foi, além de pagar mais caro, falou que a vista é pior! Porque tem muita rede de proteção, é tipo uns acrílicos, entãos você tira foto através de vidros, consequentemente sai embaçado e com reflexo de várias luzes. Seja esperto, gaste menos e vá só até o deck!

Meu irmão e eu lá no alto

Vista lá de cima do Empire

Mais uma, ali no clarão é a Times Square

Eu!

Museus

O que não falta em NY são museus. E de tudo quanto é tipo. Claro que não fui em todos, pois são milhares e nem todos me interessavam. Mas exitem aqueles que você tem que ir, e esse é o caso do Metropolitan Museum of Art. Tem tudo lá, desde Egito até Arte Moderna, se você tem o mínimo de interesse vá! É lindo demais!!! Agora, outro que eu amei foi o Museu de História Natural, aquele do Uma Noite no Museu e de longe a melhor parte são os Dinossauros! Outro que eu recomento é o MoMA, mas tem que gostar, fiquei 5 horas lá dentro, é grande demais. Mas se vc não gostar tanto assim, tem que passar na lojinha maravilhosa do museu. Aliás, lojinha de museu de lá é TUDO!

No Metropolitan, num dia super chuvoso!

No Museu de História Natural

Pollock no MoMA

Eu poderia passar horas aumentando e aumentando esse post, pois foram milhões de coisas vividas, vários lugares visitados, mas eu volto pra fazer mais posts sobre NY. Antes tarde do que nunca né?

É, eu ? NY! Nunca vou esquecer aquele mês, mais incrível do que eu poderia imaginar. E claro, volto pra lá.

 

Demorei mas o post veio, tá desde que eu voltei nos drafts, no começo eu até chorava me lembrando – é verdade, saudades master de lá – mas ele tá aqui e espero que vocês gostem e que sirva de guiazinho pra quem for pra lá!

Pra quem quiser ver mais fotos, está tudo no meu Flickr.

assinatura

10 comentários

Comente com Facebook

Deixe seu comentário

10 Comentários

  • Mari Trigo
    dez 31, 2009

    è tudo lá! Já tô me programando pra voltar!!!!

  • Dafne
    dez 29, 2009

    O texto é realmente fantástico!!!
    E a viagem… Ai, ai! Um sonho. Eu tenho um caso de amor com os EUA, só conheço Orlando e mesmo assim amo! Ja fui umas 7 vezes e iria mais umas 20!

    Tb sonho em conhecer NY, que é uma cidade completamente diferente, mais agitada, que dá para conhecer a pé e de metro. Um dia irei com certeza…

    Vamos juntas? :mrgreen:
    Beijos Grandes

  • Tamiris
    dez 06, 2009

    Uau ! Adorei o post, me deu vontade de ir pra lá rsrsrs

    Qual peça vc foi assistir na Broadway?

  • Ana
    dez 04, 2009

    aaaaaaaah, morro de vontade de ir pra NY 😀

  • Michelli
    dez 04, 2009

    noooooooooooossa!:shock:

    deu vontade de conhecer tudo!!!

  • Viviam
    dez 02, 2009

    Que demaaaais! Morro de vontade de conhecer NY!!!

    As fotos estão lindas, e lendo o q vc conta, dá mais vontade de ir lá ainda!

    Como vc foi? Por vc mesma ou através de alguma agência de estudos no exterior?

    Estou pensando em ir pra Chicago, para aprimorar meu inglês…

    Beijão Mari!

  • Thais
    dez 01, 2009

    Se houver um prêmio pra melhor post de blog do ano, esse ganha. Mari, AMAY esse post, fantástico. O txt inicial é lindo e o resto dá dicas ótimas, né? AHAZOU!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Mica
    dez 01, 2009

    Eu vou! eu vou… não acredito!!!!! :mrgreen:

  • Flávia Curci
    dez 01, 2009

    Adorei o post! Sua viagem foi super bem aproveitada, não foi aquela coisa de só fui lá e pronto, tem q ser assim mesmo!! Obrigada por compartilhar! As fotos tb estão lindas!

  • Ana
    dez 01, 2009

    nunca tinha tido vontade de ir pra ny, sério. Sempre achava que “ah, é só mais uma cidade”, sabe? haha
    mas agora quero ir!