Meus 5 livros de moda favoritos

Meus 5 livros de moda favoritos

Cultura ler o post completo
5 aplicativos essenciais para viajantes

5 aplicativos essenciais para viajantes

Viagem ler o post completo
Netflix: usando mais e melhor

Netflix: usando mais e melhor

Cultura ler o post completo

Viagem

Moda & Beleza

Carreira & Finanças

Cinema: O Grande Hotel Budapeste

22 de julho de 2014

Semana passada finalmente consegui ir assistir ao novo longa do diretor Wes Andersen, O Grande Hotel Budapeste. O diretor é muito conhecida pelo seu jeito de contar fábulas, mas é bem do tipo, ame ou odeie. Eu particularmente gosto muito da estética que ele usa nos filmes.

O Grande Hotel Budapest

O personagem principal é o concierge Gustave H. do aclamado hotel europeu durante o período entreguerras, que é inspirado em Stefan Zweig (1881 – 1942), autor judeu de origem austríaca que, com a ascensão do nazismo, refugiou-se no Brasil. Ele cometeu suicídio em Petrópolis (RJ), manifestando em uma carta de despedida sua desilusão com o crescimento da intolerância e do autoritarismo na Europa e sem esperanças no futuro do chamado Novo Mundo.

Gustave tem um certo desajuste de personalidade, e muitas vezes ele demora a reagir às notícias, como se estivesse narrando elas. Sua vida é narrada por um escritor, Tom Wilkinson, que retorna ao ano de 1980, lembrando-se de quando se hospedou no hotel, e conheceu seu proprietário, Mr. Moustafa, e é através de seu depoimento que ele começa a ter contato com Gustave H..

E é nesse momento que eles voltam ao anos 1930, quando Gustave e Moustafa, eram respectivamente mestre e aprendiz. O pupilo, um garoto de mensagem, acaba se transformando no herdeiro do hotel, e é um imigrante de ascendência árabe, que apesar de todos os problemas e perseguição, que na época era marcante, supera tudo isso e sobre na escala social.

O Grande Hotel Budapest

O filme fala sobre a passagem do tempo e das mudanças de costumes. Que assim como Gustave é um tipo que já ficou pra trás, Moustafa é alguém moldado pelo novo ambiente social. E todos os personagens que aparecem ao longo do filme, de uma excêntrica milionária, um policial influente até um jovem ambicioso, ajudam a mostrar esse novo ambiente, e por isso o uso de personagens que são tão estereotipados.

Muitas coisas podem não agradar quem está assistindo, até por conta do estereótipos, mas apesar disso, é um filme que vale muito a pena assistir, pois ele vai muito além!

Acompanhe o ShopaholicInstagram | Fanpage | Twitter

1 comentário

Comente com Facebook

Deixe seu comentário

1 Comentário

  • Leandro Elias
    jul 22, 2014

    Nunca assiti, mas deve ser legal.